quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Bancos são obrigados a instalar biombos em frente aos caixas em Franca


Os bancos de Franca,no interior de São Paulo, estão obrigados a contar com biombos para o atendimento aos clientes a partir desta terça-feira (28). A Prefeitura promete multar as agências que não cumprirem a
lei, criada para evitar que clientes sejam vistos fazendo saques e depois acabem perseguidos e roubados.
Este ano na cidade em torno de 20 assaltos na modalidade "saidinha de banco" já teriam
sido registrados.
Embora prevista multa de R$ 1.200 para quem não cumprir a lei, conforme verificou a reportagem do Diário, até ontem, a maioria das agências continuava com o sistema de filas nos caixas sem qualquer proteção visual aos clientes.
Os biombos são justamente para impedir que outras pessoas vejam as transações financeiras que são realizadas nos caixas, como saques de dinheiro. Isso porque nos crimes conhecidos como "saidinha de banco" os bandidos observam quem saca dinheiro para depois assaltá-lo na rua.
Uma lei já proíbe o uso de telefones celulares no interior das agências. Mesmo assim, os assaltos continuam a ocorrer. Isso porque o assaltante não precisa telefonar de dentro do banco.
Para burlar essa lei ele pode, por exemplo, seguir o cliente ou mesmo sair primeiro da agência para
depois avisar o comparsa.
Com os biombos evitando que os clientes sejam vistos no caixa, a ação de olheiros de criminosos
ficaria inviabilizada dentro das agências. O projeto foi aprovado ainda no ano passado e já está
sancionado e publicado.
A lei, porém, não vinha sendo cumprida, o que deve ocorrer a partir de hoje. O setor de fiscalização notificou todas as agências bancárias de Franca e o prazo de 90 dias para a instalação dos biombos venceu ontem.
O pedido para o cumprimento da lei partiu do Sindicato dos Bancários, que apoia a medida. O autor da lei, vereador Silas Cuba (PT), acredita que a determinação evitará muitos crimes que acontecem porque o cliente faz saques elevados no caixa aos olhos de todos que estão no interior da agência. "Se houver um assaltante por perto, ele vê o saque e arquiteta o crime", explicou.
Durante o período previsto para adaptar o sistema, de acordo com o setor de fiscalização da Prefeitura, foram emitidas notificações para que a lei fosse cumprida. Todas as 44 agências bancárias de Franca foram avisadas de que em três meses o atendimento deveria estar adequado à legislação.

Penalidade

 A penalidade pelo descumprimento é de 300 Unidades Fiscais do Município (UFMs), cerca de R$ 1.200. Em caso de reincidência, esse valor é dobrado e, havendo a insistência em descumprir a lei,
o banco pode ter o alvará de funcionamento cassado.
A ocorrência de roubos a clientes de agências bancárias, a conhecida "saidinha", tem sido registrada com frequência em Franca. Em um dos casos recentes, um vendedor foi assaltado após sacar R$ 5 mil de uma agência bancária no bairro Cidade Nova.
Ele foi visto pegando o dinheiro no caixa e rendido por dois assaltantes no momento em que se preparava para entrar em seu carro.
A vítima foi obrigada a entregar o dinheiro e a chave de uma picape Strada aos dois bandidos, que fugiram em uma moto. O dinheiro seria utilizado para realizar o pagamento de funcionários de uma empresa calçadista.
Em Franca, somente a Caixa Econômica Federal se antecipou e individualizou o atendimento.
O Banco do Brasil realizou licitação para se adaptar à lei, mas, como não será possível fazer a mudança a tempo, ganhou um prazo extra do Setor de Fiscalização. Já os demais bancos não se manifestaram.
Fonte: Diário da Franca

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comunicado: Os mais de 300 demitidos da Prosegur Paraguai apresentam suas ...

O movimento sindical brasileiro perde uma mulher lutadora e guerreira; a família CSPB...

Quando o ex-presidente da CSPB, Raimundo Nonato Cruz, imprimiu novas estratégias na condução política e administrativa da Confederação, ainda no calor da Assembleia Nacional Constituinte, uma das suas decisões foi no sentido de incorporar novos quadros dirigentes.

Polícia apura conexão entre ataques a cofres eletrônicos:

A prisão em flagrante de um ladrão por volta das 23h30min de sábado, enquanto arrombava um caixa eletrônico em uma agência do Santander, na Avenida Assis Brasil, na Capital, reforçou ainda mais a certeza, entre policiais, da existência de uma conexão entre esse tipo de crimes em todo o país. É que, novamente, o criminoso surpreendido pela Brigada Militar é catarinense — como eram três dos quatro arrombadores presos em junho em Rio Pardo. E como catarinenses eram, também, os quatro ladrões presos em Vitória (ES), em março, com R$ 500 mil provenientes do arrombamento de uma agência bancária. O ladrão azarado da vez é Robson Muller, 28 anos, técnico em manutenção, de Joinville (SC). Pelo menos outro homem, que, segundo a polícia, vigiava a ação do bandido do lado de fora, conseguiu fugir em um automóvel, assim que a viatura da polícia chegou ao local, depois do acionamento do alarme da agência. Muller foi surpreendido enquanto operava uma furadeira. Ele ainda tinha outras ferramentas, como transformadores e alicates. Autuado por furto, o arrombador foi encaminhado ao Presídio Central. Na semana passada foram registrados outros dois casos relacionados a arrombamento de caixas eletrônicos do Santander no Estado. Na última quinta-feira, em Torres, Jeferson de Freitas, 29 anos, funcionário de uma fábrica de antenas parabólicas em Jaraguá do Sul (SC), foi encontrado por cinco PMs dentro de um táxi quando fugia pela BR-101, em direção a Santa Catarina.

No Rio de Janeiro Oportunidade Seg

Loading...