sábado, 15 de setembro de 2012

Nova Central irá debater com suas bases "Tabela de Categorias"

Retomando as atividades no estabelecimento da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria - CNTI, para debater sobre Tabela de Categorias Sindicais, as 6 centrais sindicais (Nova Central, FS, CTB, UGT, CGTB e CUT) se reuniram, para definir, uma proposta de Tabela de Categorias que possa contemplar ao mesmo tempo; Trabalhadores, Empregadores e Governo. “Teremos dificuldade para chegar em uma acordo sobre este assunto, pois ninguém quer mudar para perder, e sim para ganhar. Porém, creio que em alguns casos, poderá haver mais perdas do que ganhos, e por isso enfatizo o quanto é importante esta discussão entre nós. Aproveito para lembrar que a Nova Central irá construír fortes debates tomando como base o art. 577 para tratar deste assunto”, reforça José Calixto, Presidente da Nova Central e CNTI.

 Os participantes voltaram ao auditório e definiram algumas proposições, além de saírem em defesa de alguns posicionamentos. As centrais pediram então, prorrogação de prazo ao Ministério do Trabalho, para discutir mais sobre a Tabela em questão, junto com as suas Confederações e Federações. “Vamos afunilando e aprofundando este trabalho, pois estamos sentindo necessidade de avançar neste debate, mais é necessário consultar os trabalhadores”, propõe Moacyr Tesch. 

Os dirigentes sindicais, conseguiram em meio a tantos discursos entrar em um acordo. Cada central sindical realizaria discussões mais detalhadas e minuciosas com as suas bases, ou seja, as Federações e Confederações, para só a partir daí, produzir uma proposição a ser entregue ao MTE. Desta forma o prazo estipulado pelo Ministério, que seria no dia 15 de outubro, teve que ser prorrogado para o dia 22 de outubro, tempo necessário para que cada central se reúna com seus trabalhadores, consultando-os, e tornando assim mais legítima qualquer nova Tabela que venha surgir para aferição das categorias. 

Cada central aproveitou também para expor o que irá levar às suas bases, algumas propostas de categorias formuladas em um primeiro momento, instrumentalizando a realização das discussões internas. 

“Este será um marco histórico para a Nova Central, pois iremos socializar os documentos aqui entregues para discutirmos com nossos filiados. Só assim trataremos de formalizar uma nova Tabela de Categorias”, acrescenta Geraldo Ramthun, Vice – Presidente da Nova Central.

Neste primeiro momento, a Nova Central decidiu então, elaborar um documento convidando todas as Federações, Confederações e demais coligados à Nova Central para participarem deste debate. O Seminário proposto ficou agendado para ocorrer em Brasília, nos dias: 15, 16, 17 e 18 de outubro, envolvendo todos os filiados à Nova Central. “O papel político da Nova Central é mostrar um trabalho diferenciado com os seus filiados, por isso, a importância de envolvê-los neste processo”, diz Moacyr Tesch.

Além disso, definiu também uma proposta de Tabela com 10 Categorias,  para levar às Federações e Confederações, distribuídas desta forma: 1ª Indústria; 2ª Comércio; 3ª Educação, Cultura, Esporte e Lazer; 4ª Transportes Terrestres; 5ª Transportes Marítimos, Fluviais e Aéreos; 6ª Empresas de Crédito; 7ª Comunicação e Publicidade; 8ª Profissionais Liberais; 9ª Rurais e 10ª Serviço Público. Posteriormente e junto com os trabalhadores, a Nova Central irá definir os subgrupos de cada categoria aqui mencionada e terá como ponto de partida para os seus debates, o que diz o "Quadro Referente ao art. 577 da Consolidação das Leis do Trabalho".


“Vamos respeitar as discussões e opiniões das centrais, pois o Ministério do Trabalho precisa de uma lista de categorias organizada e capaz de se contrapor e acompanhar os avanços tecnológicos. É claro que temos dúvidas também, no entanto, vamos aguardar para receber as propostas, pois queremos aprofundar as discussões e dar embasamento jurídico para as proposições das categorias sugeridas pelas centrais, encerra Manoel Messias, Secretário de Relações do Trabalho do MTE.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comunicado: Os mais de 300 demitidos da Prosegur Paraguai apresentam suas ...

O movimento sindical brasileiro perde uma mulher lutadora e guerreira; a família CSPB...

Quando o ex-presidente da CSPB, Raimundo Nonato Cruz, imprimiu novas estratégias na condução política e administrativa da Confederação, ainda no calor da Assembleia Nacional Constituinte, uma das suas decisões foi no sentido de incorporar novos quadros dirigentes.

Polícia apura conexão entre ataques a cofres eletrônicos:

A prisão em flagrante de um ladrão por volta das 23h30min de sábado, enquanto arrombava um caixa eletrônico em uma agência do Santander, na Avenida Assis Brasil, na Capital, reforçou ainda mais a certeza, entre policiais, da existência de uma conexão entre esse tipo de crimes em todo o país. É que, novamente, o criminoso surpreendido pela Brigada Militar é catarinense — como eram três dos quatro arrombadores presos em junho em Rio Pardo. E como catarinenses eram, também, os quatro ladrões presos em Vitória (ES), em março, com R$ 500 mil provenientes do arrombamento de uma agência bancária. O ladrão azarado da vez é Robson Muller, 28 anos, técnico em manutenção, de Joinville (SC). Pelo menos outro homem, que, segundo a polícia, vigiava a ação do bandido do lado de fora, conseguiu fugir em um automóvel, assim que a viatura da polícia chegou ao local, depois do acionamento do alarme da agência. Muller foi surpreendido enquanto operava uma furadeira. Ele ainda tinha outras ferramentas, como transformadores e alicates. Autuado por furto, o arrombador foi encaminhado ao Presídio Central. Na semana passada foram registrados outros dois casos relacionados a arrombamento de caixas eletrônicos do Santander no Estado. Na última quinta-feira, em Torres, Jeferson de Freitas, 29 anos, funcionário de uma fábrica de antenas parabólicas em Jaraguá do Sul (SC), foi encontrado por cinco PMs dentro de um táxi quando fugia pela BR-101, em direção a Santa Catarina.

No Rio de Janeiro Oportunidade Seg

Loading...