quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Vigilantes de RN rejeitam proposta indecente dos patrões e reforçam a luta pela valorização da categoria.


O coordenador-geral do Sindsegur, Francisco Benedito (Bené), fez uma avaliação das negociações salariais e explicou porque o Sindsegur e a Confederação Nacional dos Vigilantes não assinaram a convenção 2012. “Primeiro, o acordo feito com o Sindesp (Sindicato das Empresas de Segurança Privada), e que foi aprovado pela assembleia da categoria, o patrão quebrou, inclusive querendo congelar o salário por dois anos. Isso é uma falta de respeito com a categoria”. Segundo Bené, “os patrões já estavam acostumados a fazer isso antes, agora estão diante de um sindicato diferente, que tem uma diretoria comprometida com os interesses dos trabalhadores vigilantes, e a gente não aceita nada que não seja aprovado pela categoria. Os
empresários também queriam acrescentar mais um ano para o vigilante desarmado, mas também não aceitamos”.
A assembleia ainda contou com a presença do ex-presidente do Sindvigilantes, Iran Marcolino, do advogado Manoel Batista, além dos representantes da Confederação Nacional dos Vigilantes, José Maria de Oliveira  e Chico Vigilante, que também é deputado Distrital por Brasília.
 “O Sindicato somos nós os trabalhadores, portanto, quando o vigilante diz que aquele sindicato não faz nada, ele está dizendo eu sou um incapaz, eu não faço nada; quando ele diz que aquele sindicato não luta, está dizendo eu não luto”, falou Chico Vigilante. Ele criticou aqueles que na hora da mobilização e da luta não participam, ficam puxando o saco do patrão e dedurando quem está lutando. “Aí depois de todo o esforço que você teve, você conquistou o reajuste, aí vem o bexiga que não foi à luta e diz: só essa merreca? Mas ele não veio ajudar para que não fosse uma merreca”, completou Chico Vigilante.
José Maria de Oliveira  lembra que o tamanho da conquista é proporcional ao tamanho da participação da categoria.” Infelizmente, os ausentes da luta acabam interferindo na negociação e na proposta patronal, e são os primeiros depois a cobrar um reajuste maior e criticar a direção do Sindicato. Quem não luta, não merece reajuste algum”,completa.
Ao final da assembleia a categoria rejeitou a proposta dos empresários e aprovou a decisão de não assinar
a convenção da forma como foi proposta pelos empresários. “Hoje a categoria deu a resposta dizendo não a essa falta de respeito dos empresários com a categoria.
Os empresários que se preparem, por que a partir de novembro as negociações vão ter que acontecer. Os vigilantes  não têm convenção atualmente porque nós não assinamos documento nenhum que prejudique a nossa categoria. Os vigilantes já foram enganados por muitos e muitos anos, acabou a época do engodo, da enganação, fomos eleitos para defender a categoria e não para trair”, desabafou Bené.
Fonte:  Coletivo Foque  e CNTV| Fotos: Rogério Marques

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comunicado: Os mais de 300 demitidos da Prosegur Paraguai apresentam suas ...

O movimento sindical brasileiro perde uma mulher lutadora e guerreira; a família CSPB...

Quando o ex-presidente da CSPB, Raimundo Nonato Cruz, imprimiu novas estratégias na condução política e administrativa da Confederação, ainda no calor da Assembleia Nacional Constituinte, uma das suas decisões foi no sentido de incorporar novos quadros dirigentes.

Polícia apura conexão entre ataques a cofres eletrônicos:

A prisão em flagrante de um ladrão por volta das 23h30min de sábado, enquanto arrombava um caixa eletrônico em uma agência do Santander, na Avenida Assis Brasil, na Capital, reforçou ainda mais a certeza, entre policiais, da existência de uma conexão entre esse tipo de crimes em todo o país. É que, novamente, o criminoso surpreendido pela Brigada Militar é catarinense — como eram três dos quatro arrombadores presos em junho em Rio Pardo. E como catarinenses eram, também, os quatro ladrões presos em Vitória (ES), em março, com R$ 500 mil provenientes do arrombamento de uma agência bancária. O ladrão azarado da vez é Robson Muller, 28 anos, técnico em manutenção, de Joinville (SC). Pelo menos outro homem, que, segundo a polícia, vigiava a ação do bandido do lado de fora, conseguiu fugir em um automóvel, assim que a viatura da polícia chegou ao local, depois do acionamento do alarme da agência. Muller foi surpreendido enquanto operava uma furadeira. Ele ainda tinha outras ferramentas, como transformadores e alicates. Autuado por furto, o arrombador foi encaminhado ao Presídio Central. Na semana passada foram registrados outros dois casos relacionados a arrombamento de caixas eletrônicos do Santander no Estado. Na última quinta-feira, em Torres, Jeferson de Freitas, 29 anos, funcionário de uma fábrica de antenas parabólicas em Jaraguá do Sul (SC), foi encontrado por cinco PMs dentro de um táxi quando fugia pela BR-101, em direção a Santa Catarina.

No Rio de Janeiro Oportunidade Seg

Loading...