sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Violência esquenta mercado de vigilantes em Ribeirão


Os dois centros de formação e reciclagem de vigilantes de Ribeirão Preto apontam, em média, um crescimento de 30% na procura de novos alunos nos últimos meses, em relação ao mesmo período de 2011. Reflexo do aumento da criminalidade, os cursos capacitam os alunos para segurança armada
e os vigias conseguem empregos rapidamente. Nos últimos três dias, por exemplo, oito casas foram assaltadas.
Marcelo Marin Cabral, inspetor de um dos cursos, explica que é comum pessoas que não conseguiram ingressar na área militar encontrarem na segurança patrimonial uma opção "É mais fácil. Contudo, eles passam por exame psicológico, exame médico e precisam comprovar idoneidade através de documentos", pontua.
Segundo o diretor de uma das escolas que oferecem a capacitação, tenente Melara, cerca de 1,5 mil alunos
são formados por ano e a procura continua crescente "Eles podem trabalhar na segurança patrimonial, que é o mais comum, mas também podem fazer um curso de extensão e trabalhar no transporte de valores e escolta armada", diz.

Mercado quente:

No Sindicato de Trabalhadores em Serviços de Segurança e Vigilância de Ribeirão Preto e Região, a maior demanda também é confirmada. Segundo o diretor financeiro José Ângelo Pita, a procura por referência de profissionais desse tipo aumentou 40% desde o início do ano.
O segmento também é visto como uma profissão promissora, mesmo por aqueles que nunca trabalharam com algo parecido. É o caso da aluna de uma das escolas Vanessa Adão, que trabalhou durante anos na área de limpeza. "Ainda não tenho emprego em vista, mas sei que não vou encontrar dificuldades."
A aluna Edilene Damião Martins cita a sensibilidade e percepção da mulher como possível diferencial "Conheço muitas mulheres que estão nessa área. 
Acredito que somos mais atentas, e, assim, conseguimos ter uma postura maior de prevenção", afirma.

Fonte: Jornal A Cidade de Ribeirão Preto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comunicado: Os mais de 300 demitidos da Prosegur Paraguai apresentam suas ...

O movimento sindical brasileiro perde uma mulher lutadora e guerreira; a família CSPB...

Quando o ex-presidente da CSPB, Raimundo Nonato Cruz, imprimiu novas estratégias na condução política e administrativa da Confederação, ainda no calor da Assembleia Nacional Constituinte, uma das suas decisões foi no sentido de incorporar novos quadros dirigentes.

Polícia apura conexão entre ataques a cofres eletrônicos:

A prisão em flagrante de um ladrão por volta das 23h30min de sábado, enquanto arrombava um caixa eletrônico em uma agência do Santander, na Avenida Assis Brasil, na Capital, reforçou ainda mais a certeza, entre policiais, da existência de uma conexão entre esse tipo de crimes em todo o país. É que, novamente, o criminoso surpreendido pela Brigada Militar é catarinense — como eram três dos quatro arrombadores presos em junho em Rio Pardo. E como catarinenses eram, também, os quatro ladrões presos em Vitória (ES), em março, com R$ 500 mil provenientes do arrombamento de uma agência bancária. O ladrão azarado da vez é Robson Muller, 28 anos, técnico em manutenção, de Joinville (SC). Pelo menos outro homem, que, segundo a polícia, vigiava a ação do bandido do lado de fora, conseguiu fugir em um automóvel, assim que a viatura da polícia chegou ao local, depois do acionamento do alarme da agência. Muller foi surpreendido enquanto operava uma furadeira. Ele ainda tinha outras ferramentas, como transformadores e alicates. Autuado por furto, o arrombador foi encaminhado ao Presídio Central. Na semana passada foram registrados outros dois casos relacionados a arrombamento de caixas eletrônicos do Santander no Estado. Na última quinta-feira, em Torres, Jeferson de Freitas, 29 anos, funcionário de uma fábrica de antenas parabólicas em Jaraguá do Sul (SC), foi encontrado por cinco PMs dentro de um táxi quando fugia pela BR-101, em direção a Santa Catarina.

No Rio de Janeiro Oportunidade Seg

Loading...